Santa Sofia

Santa Sofia ou, como chamam os turcos, Ayasofya, é o símbolo de Istambul. Foi construída durante o mandato de Justiniano entre 532 e 537 e é uma das obras-primas da arte bizantina.

Entre 1204 e 1261, Santa Sofia foi a igreja do Papa. Depois de funcionar como igreja por mais de 900 anos, em 1453 foi tomada pelo Império Otomano e transformada em mesquita. Os otomanos dotaram a igreja de quatro minaretes, uma escola teológica e um refeitório público.

Em 1935, Atatürk transformou o templo em um museu, até que, no ano 2020 converteu-se novamente em mesquita.

Exterior

Situada no ponto mais alto de Istambul, Santa Sofia define a panorâmica da cidade. Seu quatro minaretes e sua cúpula de mais de 30 metros de diâmetro são a imagem mais característica da metrópole turca.

Interior

O interior de Santa Sofia é impressionante: as dimensões da sala principal (70 por 74 metros), a iluminação difusa e as colunas monolíticas recebem os visitantes com os braços abertos.

Infelizmente, com a recente reconversão da Santa Sofia em mesquita, as imagens estão proibidas no templo. Por isso, foram colocadas cortinas para cobrir os históricos mosaicos do segundo andar, além dos enormes medalhões que decoravam as instalações.

No segundo andar também se conserva a tumba de Enrique Dandolo, duque veneziano que morreu em Constantinopla em 1205.

Conselhos

Além de chegar o mais cedo possível (há grandes filas para entrar), não perca a vista da Mesquita Azul que as janelas do segundo andar oferecem.

Horário

É possível visitar a mesquita durante o dia todo, exceto durante o momento das cinco orações diárias.

Preço

Entrada gratuita.

Transporte

Bonde: Sultanahmet, linha T1.